O Matapi apresenta o diretor, produtor, roteirista, editor e diretor de arte Matheus Mota. Nascido em 1995, em Manaus (AM), começou a se interessar pelo cinema e audiovisual desde muito cedo. Atualmente, cursa Comunicação Social – Jornalismo na Universidade Federal do Amazonas e trabalha como editor de vídeo do Portal A Crítica. Em 2017, lançou seu primeiro curta-metragem “Folhas Brancas” que foi exibido na 3° Mostra do Cinema Amazonense. Em 2018, dirigiu e produziu o seu primeiro videoclipe “Mostarda” para o cantor e compositor Lucas Passos, co-dirigiu e filmou o minidocumentário “Cúmplices da Arte Autoral”, dirigiu o videoclipe “Somo2” da banda República Popular e fez a direção de arte do curta-metragem “De Costas para o rio” do diretor amazonense Felipe Aufiero Fonseca.

Em 2019, dirigiu e produziu o álbum visual “Húmus” da banda República Popular, dirigiu e produziu o videoclipe “Funeral Verde” do músico Pedro Passos e o videoclipe “Meu Lugar” da cantora e compositora Gabi Farias, este último selecionado para a Mostra Audiovisual ArtePop. Em 2020, lançou seu segundo curta-metragem, “Sociedade Fluida”, a obra experimental teve sua estreia na quinta edição do Cine Tamoio – Festival de Cinema de São Gonçalo. O filme também foi selecionado para outros festivais tais como a nona edição do FECIM – Festival de TV e Cinema de Muqui no Espirito Santo e a quinta edição do FICCA, o Festival Internacional de Cinema do Caeté, realizado simultaneamente em Bragança no Pará e na cidade de Porto em Portugal.

Seja bem-vindo ao Matapi, Matheus!