O barco e o rio’, de Bernardo Ale Abinader, garantiu ida ao Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (FICG), no México

O projeto de longa-metragem ‘O barco e o rio’ foi o grande vencedor do prêmio de Melhor Pitching da 2ª edição do ‘Matapi – Mercado Audiovisual do Norte’, que encerrou suas atividades, neste sábado (30/11), no Centro Cultural Palácio da Justiça (Centro Histórico de Manaus). Com o feito, o diretor e roteirista Bernardo Ale Abinader, da Fita Crepe Filmes, garantiu participação no programa Talent Coprodution Meeting, do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (FICG), no México. A premiação é uma parceria do evento com o Itamaraty e o próprio FICG.

Bernardo recebeu o prêmio ao lado da diretora de fotografia e sócia da Fita Crepe Filmes, Valentina Ricardo. O longa, um projeto de expansão do curta homônimo realizado pela empresa e que deverá ser lançado no início do 2020, acompanha a história de duas irmãs que herdam o barco da família: enquanto a mais nova delas, Josi, quer vendê-lo, a mais velha, Vera, vê na embarcação toda a sua vida e se recusa a abrir mão dela.

Segundo o diretor, a premiação representa uma confiança no projeto. “É muito gratificante, porque para a Fita Crepe, em termos de audiovisual, esse curta foi o primeiro realizado com algum dinheiro e, antes de começar a circular, já está surtindo coisas boas. Ele representa, também, a vontade que nós temos de transformá-lo em um longa metragem. É um projeto bom demais para ficar apenas em um curta”, afirmou.

Bernardo deverá viajar para o México em março de 2020, quando acontecerá a próxima edição do FICG. “Acho que existe muita riqueza no ambiente que retratamos nesse produto e que pode ser explorada”, defendeu.

Além de ‘O barco e o rio’, o ‘Matapi’ reconheceu, ainda, outros dois projetos de pitchings: um idealizado pela Rizoma Audiovisual, ‘Por que Kamña matou Kiña?’; e ‘Céu’, da Artrupe Produções.

Ao término do evento, um dos organizadores do ‘Matapi’, Carlos Barbosa, fez um balanço da edição. “Foram três dias muito intensos e produtivos. Tivemos todo um cuidado para trazer os participantes deste ano e eles foram incríveis. Cada um teve a oportunidade de falar um pouco sobre a sua experiência no mercado e esse compartilhamento foi importante para quem estava assistindo. Além disso, o público que conferiu a programação do evento foi bastante participativo, o que deu uma base maior ao ‘Matapi’. Encerramos essa edição com um saldo muito positivo”, concluiu.

Roda de mulheres – Além do encerramento do 2° ‘Matapi – Mercado Audiovisual do Norte’, a programação deste sábado contou, ainda, com o ‘Encontro de mulheres do audiovisual’. Durante 1h30, diversas vozes femininas do Amazonas e de outros Estados brasileiros debateram números e estratégias para superarem os obstáculos do segmento.

A conversa foi mediado pela diretora do grupo econômico Tem Dendê Produções (BA), Vânia Lima; pela diretora e associada da Associação de Profissionais Negros do Audiovisual (Apan), Larissa Fulana de Tal; e pela realizadora audiovisual amazonense Keila Serruya.

Para Larissa Fulana de Tal, o encontro serviu para debater sobre a mulher na indústria cinematográfica de forma geral. “Nós, enquanto setor que faz a relação entre raça e gênero, temos que compreender que ser mulher não é universalmente ser mulher branca, mas também indígena, negra etc. Esse encontro valeu para começarmos a alinhar essas informações, pois existem diferenças, mas elas não podem ser sobrepostas a nossa hegemonia”, reforçou.

Keila Serruya ficou feliz pela sensibilidade do ‘Matapi’ de propor essa reunião feminina. “Fiquei bastante satisfeita pela iniciativa da edição deste ano de convidar mulheres que trazem dados para que a gente debate, ali, e reflita essas informações a partir do nosso lugar: nosso lugar cidade, nosso lugar Estado; pensando na construção para que a gente consiga adentrar nesse mercado que é maioritariamente construído e financiado por e para homens”, finalizou a realizadora audiovisual.

Sobre o ‘Matapi’ – O ‘Matapi – Mercado Audiovisual do Norte’ é uma realização da Dabacuri Projetos e Produções, Leão do Norte Consultorias e Produções e Ministério da Cidadania que tem como objetivo reunir profissionais do audiovisual para discutir e fomentar a cadeia produtiva do setor, tanto no Amazonas quanto nos Estados que compõem a Região do CONNE (Centro-Oeste, Norte e Nordeste).

A 2ª edição do evento aconteceu, entre 27 e 30 de novembro, no Teatro Amazonas e Centro Cultural Palácio da Justiça, e contou com uma programação variada, que foi desde mesas e painéis até consultorias e masterclass. Mais informações podem ser adquiridas nas redes sociais oficiais do ‘Matapi’ no Facebook (/matapimercadoaudiovisual) e Instagram (@matapimercadoaudiovisual).

Confira abaixo tudo o que rolou na programação deste sábado (30/11):

9h30 às 12h30 – Masterclass ‘Documentário de impacto: criando redes e potencializando obras audiovisuais desde o desenvolvimento’ com Rossana Giesteira (Giros Filmes), na sala Rio Tapajós. A atividade é realizada em parceria com a Videocamp;
11h às 11h40 – Painel ‘O que buscam os players?’ com Luciana Pilon (Mov-Uol), na sala Rio Negro;
11h50 às 12h30 – Painel ‘O que buscam os players?’ com Luiz Eduardo Garcia (GloboNews), na sala Rio Negro;
14h às 15h30 – Mesa ‘O impacto das políticas públicas no fortalecimento do audiovisual local: amostragem e análise de dados de Belém, Manaus e Bahia’ com Rodrigo Antonio (Matapi) e André Araujo (NordesteLab) e mediação de Diego Medeiros (Sales e Medeiros Advogados);
15h50 às 17h20 – Apresentação pública dos projetos participantes das consultorias, na sala Rio Negro; 
17h40 às 19h10 – Encontro de mulheres do audiovisual, na sala Rio Negro;
19h30 às 20h – Cerimônia de encerramento, na sala Rio Negro.

Legenda para colunista:

O ‘Matapi – Mercado Audiovisual do Norte’ encerrou suas atividades, no último sábado (30/11), no Palácio da Justiça, com a entrega do prêmio de Melhor Pitching. A comissão julgadora do evento escolheu o projeto de longa-metragem ‘O barco e o rio’, da Fita Crepe Filmes, como a melhor proposta apresentada na edição. Com isso, o diretor Bernardo Ale Abinader conquistou o direito de participar do programa Talent Coprodution Meeting, do Festival Internacional de Cinema de Guadalajara (FICG), no México.

O ‘Matapi’ é uma realização da Dabacuri Projetos e Produções, Leão do Norte Consultorias e Produções e Ministério da Cidadania que tem como objetivo reunir profissionais do audiovisual para discutir e fomentar a cadeia produtiva do setor, tanto no Amazonas quanto nos Estados que compõem a Região do CONNE (Centro-Oeste, Norte e Nordeste).